segunda-feira, 10 de julho de 2017
 
Você sempre pareceu impossível pra mim, nunca olhei pra você, diferente dos outros, nunca senti atração por você, talvez sim, quando pequena, aos 8/9 anos quando cheguei na cidade e você era meu coleguinha de classe, 3º série, você já era o galã, lembro-me que diziam "namorar" com uma menina, Fabrícia (eu a odiava por conta disso). No começo achei que fosse filho do prefeito, afinal não conhecia ninguém na cidade, muitos fatos para uma menina de 8 anos. Tempos depois fomos vizinhos, brincávamos juntos até tarde na rua; na casa da minha melhor amiga fazíamos circo todas as noites e eu já dancei pra você, com a inocência de uma criança, você já me viu dançar exclusivamente pra você. O tempo passou, fomos crescendo, você sumiu pra mim, te via na rua, no colégio, ouvi histórias sobre você, mas nada me atraiu, você sumiu pra mim... Do nada você pareceu se interessar por mim, quem cutuca no Facebook em 2016? Curtiu fotos, senti algo no ar... Hoje em dia 'paquerar' (como diria minha mãe) é isso, curtir fotos, te seguir em alguma rede social, chamar atenção de alguma forma, mostrar interesse virtualmente. 07/12/2016, festa da padroeira, fui com outras intenções, olhos em outra pessoa, a festa estava horrível pra mim, quando você resolveu agir, me chamou pra dançar, fui, dançamos e você tentou me beijar, não, acabou a dança me senti mexida, algo aconteceu naquele momento, olhei pros meus amigos 'não' diziam eles, saí da festa, pensei, voltei decidida a ficar com você, puf, você veio novamente, nos encaramos, nos beijamos, uma, duas, três vezes...  Como eu me senti? Eu queria mais, queria mais você, mas não criei expectativa. Dia seguinte, mensagem sua, respondi, nos vimos de novo e de novo, e nos víamos praticamente todos os dias, você parecia se importar, nos falávamos, você foi um ótimo ator, me fez cair na sua, disse querer namorar, como eu fiquei? Com medo, com receio, o que você esperar do menino mais bonito e pegador da cidade? Eu não queria namorar você, eu não sabia se era capaz de suportar suas saídas, festas e bebedeiras, e as outras? Minha cabeça doía só de imaginar todos falando de 'nós' pelas minhas costas. Acabou? Você foi sumindo, aos poucos, vamos sair? Cadê você? Um, dois, três, infinitos vacilos, você não vinha, e eu te esperei, todas as noites, eu esperava por uma mensagem, mas você não aparecia, eu parei, de correr atrás, de me importar, me permiti te esquecer. Janeiro, fevereiro fiquei com um garoto na sua frente, doeu? Eu espero que sim, março, 20 de abril, meu aniversário, mensagem sua, e o coração? Disparado. Parabéns e "vamos nos ver", tudo bem. Não falei com você, não nos vimos, eu tinha superado? Por fora sim, por dentro eu morria a cada vez que te via. Junho, nos vimos, eu falei com você, e foi bom, foi quente, você me deixa meio doida, fora de mim, tenho vontades que nunca tive aos estar com outros e eu espero por você. Penso em você, quero falar com você, quero te ver, te beijar, te sentir, você não imagina o quanto. Se eu quero te namorar? Não, sim, talvez, a única certeza que tenho é querer você. Fala comigo, se apaixona por mim como eu estou por você, deseja me ter, te todas as maneiras possíveis, deixa eu te marcar em memes fofos e engraçados no Facebook, vamos rir de bobeiras, sair pra comer/beber, te deixo escolher, ou vamos ficar em casa comendo besteira, assistindo Netflix, eu só preciso de você. Estou te esperando, não me deixa nessa por muito tempo, eu vou cansar, não me perde, olha bem pra mim e vê tudo isso, me lê, estou aberta pra você. Não perde essa garoto.

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre mim:

Sobre mim:
Escrevo para afogar as mágoas ou tentar esquecê-las, ou para registrar-las e sofrer sempre que ler-las, deixo você escolher...
Tenho 19 anos e ainda não vivi nada, acho que sei de tudo, boba, ninguém nunca vai saber. Quer me conhecer? Basta ler um pouco de cada texto, boa sorte.

Seguidores:

Visualizações: