sábado, 20 de junho de 2015
Me pego pensando "o que eu perdi enquanto estive aqui?" "quais são as novidades do momento?" "como e quem são as pessoas de hoje?"... É difícil encontrar palavras certas para começar esse texto, digamos que é quase impossível encontrar palavras para descrever o que sinto no momento, um simples comentário e puf, tudo me vem à tona.
Há quase 9 anos deixei uma história e metade da minha infância para trás, a minha primeira melhor amiga, meu primeiro paquerinha que carrego até hoje no coração, juntamente com o beijo na bochecha que demos no parquinho que tinha no colégio, minhas primeiras aventuras e noites do pijama, minha primeira leitura, e muitas outras lembranças. Como eu era feliz, a melhor época da minha vida! 
Algumas semanas atrás fuçando no Facebook acabei encontrando o perfil da minha melhor amiga de infância, mandei o convite e ela aceitou, hoje, encontrei o paquerinha da infância e confesso, ele continua um gatinho; sinto saudade de todos e de tudo, das comidas, do clima, do sotaque, absolutamente TUDO. Me bate uma vontade de pegar um avião e ir voando pra lá, poder ver tudo de pertinho, colocar o papo em dia, saber como estão, abraçar e dizer o quanto senti falta, que por mim, talvez eu ainda morasse lá, por mim talvez eu não tivesse deixado tudo tão de repente, eu teria ficado, teria aproveitado cada segundo se soubesse que eram os últimos. Gostaria de saber se ainda lembram de mim, se assim como eu os olhos brilham ao lembrar de tudo, de tanto orgulho, de tanta saudade... 
Será que, se eu ainda estivesse lá estava namorando com o paquerinha? Ainda seria melhor amiga da melhor amiga de infância? Teríamos tanto pra compartilhar, todas as dores da adolescência, todas as maçãs que comíamos raspadas de manhã na frente da tv, o primeiro beijo e namorados, os corações partidos, as vitórias e conquistas, todas as graças e glórias.
Não desistirei de manter contato com eles, é uma parte de mim que nunca vai se apagar, por qualquer seja o tempo que passe tudo será sempre igual no meu coração, não importa o tamanho da saudade, um dia vamos nos encontrar, eu sei que sim e farei o possível para que isso aconteça. Continuaremos melhores amigas e quem sabe o amor de infância seja o meu príncipe encantado, daria tudo para descobrir!!!
Um grande beijo, da pequena Thais.

Obs: O local ao qual me refiro é o estado do Pará, morei em algumas cidades por lá, mas especificamente Santa Luzia do Pará.





0 comentários:

Postar um comentário

Quem sou eu:

Quem sou eu:
Uma garota apaixonada pelas luzes, que busca por aí a realização de todos os seus sonhos. Amante da escrita e romântica incurável.

Seguidores:

Visualizações:

Blog parceiro: